Como enfrentar o medo do câncer voltar?

Após o alívio da recuperação, o medo do câncer voltar é um fantasma que costuma assombrar os paciente. Se você está passando por essa fase, saiba que não está sozinho. Você já é um guerreiro por ter vencido o câncer!

É comum que, mesmo após o encerramento do tratamento ou de passar por uma cirurgia, o paciente siga com uma rotina de exames e até medicações. Além de todo esse cuidado, o acompanhamento psicológico é fundamental para a recuperação plena do paciente que venceu o câncer.

Vamos entender mais sobre as raízes do medo do câncer voltar?

O desgaste psicológico da doença

Quem passou por um câncer sabe do custo emocional que a doença traz consigo. Ver o afastamento de amigos e familiares, ter que conviver com muitas perguntas – nem sempre tão convenientes – e abandonar a rotina para cuidar da saúde devido aos tratamentos tem um peso imenso.

Eu recomendo para meus pacientes o acompanhamento psicológico em conjunto com o tratamento oncológico. Infelizmente, não é a realidade de todos, mas é uma medida que minimiza os impactos que o câncer causa na vida do paciente. Da mesma forma, a terapia auxilia a lidar com sentimentos de ansiedade e angústia que surgem durante e após o tratamento.

Leia também: Dicas para pacientes em tratamento oncológico

O medo do câncer voltar: viva sem ele

Eu e diversos oncologistas já constatamos que comportamentos psico-emocionais adversos como estresse, depressão e medo resultam em impactos negativos nos resultados do tratamento. É verdade, quanto menos otimismo, mais difícil fica o caminho da cura.

Em 2017, no congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica – ASCO, foram apresentados estudos sobre o impacto do acompanhamento psicológico em pacientes com câncer. Ao todo, foram analisados três grupos diferentes. Um deles mostrou que o apoio psicológico para aqueles que tiveram diagnóstico recente diminuiu o sofrimento e melhorou a qualidade de vida.

O segundo grupo era de pacientes com o estágio avançado da doença. As sessões de terapia reduziram os sintomas depressivos ou afastavam a incidência de depressão. Já o último grupo reunia pacientes que tinham passado por tratamento do câncer de mama, de intestino e de melanoma.

Após cinco sessões de terapia, ficou comprovado que o medo do câncer voltar diminuiu, além de reduzir a ansiedade e o sofrimento dos participantes do estudo.

Esse estudo comprova que o paciente com câncer deve receber atenção multidisciplinar em seu tratamento. O tratamento da doença deve sempre ser prioridade, mas sem esquecer a humanização do paciente. A intervenção psicológica deve ocorrer nos tratamentos devido à melhora da qualidade de vida da pessoa.

Somente um psicólogo pode atuar sobre as demandas individuais de cada um. Portanto, cabe ao paciente seguir cuidando da sua saúde física e mental, focando em seu bem-estar e seguindo as orientações médicas prescritas.

Espero que meu artigo ajude você a enfrentar o medo do câncer voltar. Converse com seus amigos e familiares, exponha seus sentimentos sobre o assunto e conte sempre com o apoio de um psicólogo.

Conhece alguém que está enfrentando o câncer hoje? Conheça aqui o primeiro aplicativo para pacientes oncológicos. 

Até a próxima!

Dra. Alessandra Morelle