Neoplasias Femininas

Câncer de mama

O câncer de mama pode se apresentar de diversas maneiras. Ele não é igual de um paciente para outro, cada caso é influenciado por uma série de características. Por causa dessas variações, cada paciente com câncer de mama terá uma estratégia de tratamento diferente e adequada para o seu caso.

Sabemos, há muito tempo, que esse é um câncer com alta probabilidade de cura. Quando descoberto precocemente, há até 95% de eliminar a doença. Entretanto, o câncer de mama ainda tira a vida de milhares de mulheres todos os anos. Os exames de rotina são fundamentais nos eventuais resultados dos tratamentos.

Câncer Colo de Útero

Também chamado de câncer cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV (chamados de tipos oncogênicos).

Os exames preventivos, que devem ser anuais, são os principais aliados no combate dessa doença. Assim como o câncer de mama, o câncer de colo do útero é de fácil identificação e o tratamento poder ser aplicado nos estágios iniciais da doença.

Câncer de endométrio

O câncer do endométrio ocupa, nos países desenvolvidos, o 1º lugar entre as diversas localizações do aparelho genital feminino, nos países desenvolvidos. No Brasil ele está situado em 4º lugar entre as localizações genitais.

O útero é um órgão muscular onde o feto se desenvolve. O câncer do corpo do útero pode se iniciar em diferentes partes do órgão. O tipo mais comum se origina no endométrio (revestimento interno do útero) e é chamado de câncer de endométrio. O sarcoma uterino é uma forma menos comum de câncer uterino que se origina na musculatura e no tecido de sustentação do órgão.

O câncer uterino pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas é mais comum em mulheres que já se encontram na menopausa.

Câncer de Ovários

O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, atrás apenas do câncer do colo do útero.

É uma doença que não pode ser considerada como pouco frequente. Nos Estados Unidos ocupa o 3º lugar, atrás da mama e endométrio. É o câncer que apresenta o menor índice de cura entre as localizações genitais, pois a localização profunda dos ovários na pélvis feminina impede o diagnóstico precoce, sendo o diagnóstico possível quando o tumor já é de grande tamanho, com extensa invasão.

Um exame ginecológico anual, em mulheres com mais de 40 anos, e uma ultrassonografia transvaginal são os meios capazes de descobrir um tumor ainda em fase inicial e propiciar a cura.