Prevenindo o câncer: qual o papel da atividade física?

Já sabemos o quão importante o esporte é para a nossa saúde e também que muitos benefícios resultam dessa prática também para quem já sofre de algumas doenças.

Estudos mais recentes mostraram que a prática regular de exercícios físicos é um grande método de prevenção do câncer.

Mas por quê?

Pois bem, através de um desses estudos, foi possível observar que mulheres mais ativas fisicamente, correm menos risco de ter câncer de mama. Atualmente não se tem estudos realizados com todos os tipos de câncer, mas já existem fortes evidências de como os exercícios influenciam em pacientes com câncer de mama, câncer no cólon, câncer de endométrio, câncer de próstata e de pulmão.

Existem mecanismos biológicos que são desencadeados através de exercícios físicos e que ajudam o nosso organismo com a melhora do controle hormonal, do controle da secreção de insulina, na produção de substâncias antioxidantes e na manutenção do peso corporal.

Indivíduos com sobrepeso, geralmente, possuem uma resposta inflamatória mais constante, o que torna o sobrepeso um dos fatores que mais influenciam para desenvolvimento de câncer.

A atividade física também é muito importante para pacientes que estão no tratamento do câncer. Tanto a quimioterapia quanto a radioterapia deixam o paciente muito debilitado, o exercício físico melhora a qualidade de vida nessa fase, diminui a mortalidade e a reincidência da doença, além de diminuir a debilidade física causada pelo tratamento.

Alguns dos benefícios da prática de exercícios físicos durante o tratamento oncológico são:

  • manutenção ou melhora da sua capacidade física
  • melhora do equilíbrio, diminuindo o risco de quedas e ossos quebrados
  • diminui o atrofiamento dos músculos
  • diminui o risco de doença cardíaca e de osteoporose
  • melhora o fluxo
  • sanguíneo
  • torna o paciente independente para suas atividades cotidianas e assim melhora também a autoestima
  • diminui o risco desenvolver depressão
  • diminuir a incidência de náuseas
  • melhora o humor e o relacionamento social
  • evita a fadiga
  • ajuda a controlar o peso e claro
  • melhora a qualidade de vida

É claro, os exercícios precisam ser prescritos pelo seu médico e devidamente acompanhados. Diversos fatores precisam ser analisados para chegar a uma série de exercícios ideal e cada pessoa tem um limite individual. É preciso analisar a rotina do paciente antes da doenças, os novos limites que foram adquiridos, entre muitos outros aspectos. Procure o seu médico e questione sobre os exercícios que você pode praticar, você certamente sentirá muitos benefícios e melhoras provindos dessa decisão.

Saber que é possível melhorar a qualidade de vida é reconfortante, ainda mais nessa fase difícil da vida. Mas não se acanhe, procure viver da melhor forma possível.

Espero que essas informações façam uma diferença positiva em muitos tratamentos!

Até a próxima,

Dra. Alessandra Morelle