Insônia em pacientes com câncer

A insônia em pacientes com câncer é mais comum do que parece.

Um estudo comprova que estes pacientes com câncer podem experimentar melhorias não só em sua qualidade de sono, e na qualidade de vida.

É através de terapias não farmacológicas, como acupuntura e terapia cognitivo-comportamental para insônia (TCC-I) que adquirem estes benefícios.

O estudo foi apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) de 2018, em 3 de junho.

Os resultados foram destacados em uma coletiva de imprensa realizada antes da reunião. O julgamento envolveu 160 casos de insônia em pacientes com câncer

Os pacientes foram aleatoriamente designados para receber CBT-I ou acupuntura por 8 semanas.

Os pesquisadores relatam: Todos os pacientes experimentaram um benefício clinicamente significativo com a acupuntura ou TCC.

Para aqueles com insônia leve a TCC teve mais eficácia.

Além disso, ambos os tratamentos levaram a melhorias na qualidade de vida.

O pesquisador-chefe Jun J. Mao, chefe do Serviço de Medicina Integrativa do Centro de Câncer Memorial Sloan Kettering, em Nova York, disse em um comunicado:

 

Até 60% dos sobreviventes de câncer têm algum tipo de insônia, mas muitas vezes é subdiagnosticada e subtratados.      

O estudo mostrou que tanto o CBT-I quanto a acupuntura foram eficazes no tratamento da insônia moderada a grave.

A esperança dos estudiosos é que, ao fazer esse tipo de pesquisa, eles possam ajudar os pacientes e os clínicos a escolher o tipo certo de tratamento para eles administrarem o sono. 

O próximo passo dos pesquisadores será examinar em que tipo de pacientes cada tratamento pode ser benéfico, e como distribuir esses tipos de tratamentos para uma comunidade maior.

Abordado em um comentário independente de Black ao Medscape Medical News.

A insônia é frequentemente tratada com farmacoterapia. Porém, os tratamentos com medicamentos proporcionam apenas remediação temporária do distúrbio do sono para algumas pessoas.

Os benefícios geralmente diminuem após a descontinuação da droga e há risco de efeitos residuais diurnos e síndrome de dependência.

Os tratamentos não farmacológicos, como o CBT-I têm vantagens sobre a farmacoterapia, pois são de certa forma eficazes na melhora do sono, tanto a curto quanto a longo prazo, e não apresentam contraindicações graves.

Existem diversos estudos disponíveis mostrando os benefícios do CBT-I para insônia em pacientes com câncer, tornando-se uma das opções clínicas mais fortes. No entanto, o CBT-I é intensivo e requer um alto comprometimento de pacientes e terapeutas altamente treinados.

A acupuntura é uma opção de tratamento mais passiva para os pacientes, tornando-a potencialmente mais atraente, apesar de ser menos eficaz do que a TCC-I.

Saiba mais sobre FADIGA E CÂNCER, clicando AQUI.

Referência: Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) 2018. Resumo 10001, apresentado em 3 de junho de 2018.