Fadiga no tratamento do câncer deve ser monitorada

A fadiga no tratamento do câncer chega a atingir entre 70% e 80% dos pacientes. Esse número é alto porque é um efeito colateral do conjunto de esforços realizados em torno da cura ou do alívio da doença e seus sintomas. A intensidade varia de acordo com o paciente, os tipos de tratamento e o tipo de câncer.

O objetivo de todo tratamento é proporcionar o máximo de bem-estar ao paciente para que ele leve uma vida o mais próximo da normalidade o possível. Por isso, combater a fadiga no tratamento do câncer é necessário.

Sintomas da fadiga no tratamento do câncer

Só é possível identificar a fadiga quando o tratamento já está em andamento. O paciente pode apresentar sintomas que incluem:

  • Perda de energia para as atividades diárias;
  • Dificuldade para dormir;
  • Dificuldade para acordar;
  • Perda de interesse pelas atividades que usualmente gosta;
  • Dificuldade de concentração até mesmo para ler ou assistir;
  • Desinteresse por falar.

A fadiga no tratamento do câncer costuma ser relatada como um dos efeitos mais difíceis de tolerar, pois impacta diretamente no cotidiano do paciente e de sua família.

O que causa a fadiga?

Alguns tratamentos fazem o uso de terapias biológicas que podem provocar cansaço, dores musculares e falta de energia em alguns dias após a sua aplicação. Os tratamentos hormonais, em especial para tratar o câncer de mama e de próstata, costumam sentir muito cansaço no início do tratamento. Mas, ao longo do tempo, é provável que diminua.

Os bisfofonatos, que são medicamentos usados no tratamento do câncer nos ossos, também causam fadiga e dores musculares logo após a aplicação. Ao longo dos dias, a tendência é que diminua a sensação de cansaço. Alguns analgésicos também podem provocar a fadiga no tratamento do câncer.

Embora não exista um tipo de câncer ou um perfil de paciente que tenha propensão a sofrer com o problema, os idosos são os que mais apresentam a fadiga no tratamento do câncer.

Como combater o sintoma?

O primeiro passo para controlar a fadiga no tratamento do câncer é identificando e monitorando os sintomas. Eu recomendo que você faça um diário para relatar com detalhes a sensação de fadiga: em que momentos ocorre, com que intensidade e o que você deixou de fazer devido ao problema.

Se você não tem esse hábito, é um bom momento para criar. Recomendo que utilize o aplicativo Tummi, disponível para Android e IoS. Nele, é possível fazer um diário do tratamento, agendar os horários de medicamentos, datas de consultas, entre outros recursos. Saiba mais sobre o Tummi aqui neste artigo.

Ao levar esses relatos para o seu médico, ele vai saber recomendar o que deve ser feito para reduzir a fadiga durante o tratamento do câncer. As recomendações mais comuns são a prática de exercícios físicos adequados e ajustes na alimentação.

Em casos de anemia ou outro problema de saúde relacionado com a fadiga, é preciso tratar as suas causas.

Espero que meu artigo tenha ajudado você a entender sobre a fadiga no tratamento do câncer. Também tratei o assunto em meu canal do Youtube. Veja meu vídeo e aproveite para fazer sua inscrição e me acompanhar por lá.

Até a próxima!

Dra. Alessandra Morelle