Dicas valiosas para pacientes em tratamento de câncer

A duração das consultas de um tratamento oncológico não permite passar todas as dicas que gostaríamos aos pacientes e familiares. Por ser um tempo curto, alguns detalhes passam sem ser discutidos e o paciente só vai entender e descobrir certas coisas quando o tratamento já está finalizando. Por isso eu decidi trazer essas dicas valiosas para os pacientes que estão em tratamento e que certamente serão muito úteis!

ESTUDE O SEU DIAGNÓSTICO

Eu costumo indicar aos meus pacientes que estudem bem sobre o seu diagnóstico, que procurem entender bem o que estão passando. E também que organizem essas informações. Mas de que forma fazer isso? Bem, através de pesquisas e informações. É importante saber que as informações são muito amplas e se lê muito sobre os assuntos, mas nem tudo o que se lê tem relação ou serve individualmente para cada um dos pacientes que estão em tratamento. Aqui vem outra dica: toda vez que surgir uma dúvida no intervalo de uma consulta e outra, anote. E leve nas suas consultas todas as suas dúvidas por escrito. Além disso, também é muito interessante e facilita bastante o andamento da consulta se você manter cópias de todos os seus laudos organizados em uma pasta. Isso permite que você leve consigo o seu dossiê para toda a equipe médica de uma forma muito organizada, o que facilita muito o andamento da sua história.

TENHA TEMPO PARA ESCOLHER O SEU MÉDICO

Sabe-se que os especialistas que tratam o câncer e trabalham em centros de referência normalmente têm mais facilidade de acesso a novos tratamentos, diagnósticos inovadores e que muitas vezes ainda estão em fases de estudos clínicos. O paciente com câncer tem certa urgência de acesso a essas informações e é importante que a pessoa tenha tempo. Portanto, escolha com calma seu médico, tenha preferência por aqueles que trabalhem em centros ou clínicas realmente especializadas e que além do oncologista, possam também oferecer especialistas de outras áreas que auxiliam no tratamento do câncer, como nutricionistas, psicólogos, assistente social, enfim. Ter uma equipe multiprofissional ajudará bastante no seu tratamento.

ENCONTRE ALGUÉM PARA CONVERSAR SOBRE O SEU TRATAMENTO

Ter alguém para falar sobre o seu diagnóstico é um suporte extremamente necessário. Levar a notícia à família e aos amigos muitas vezes pode ser tão difícil quanto o momento em que a notícia é recebida do médico. Nessa fase as pessoas costumam ter dificuldade para falar sobre o futuro, sobre seus medos, angústias e a família do paciente em geral também fica mexida. É comum ter medo de fazer comentários que possam prejudicar o paciente ou até deixa-lo mais triste. É importante que aqueles que estão em tratamento tenham alguém com quem conversar sobre o seu diagnóstico. Se no primeiro momento, você não quiser falar com a família ou amigos, procure um psicólogo ou alguém da equipe médica para que você possa se abrir. Expressar os seus sentimentos e até tirar suas dúvidas alivia muito e também ajuda muito nos resultados do tratamento oncológico.

SAIBA OS SEUS DIREITOS DURANTE O TRATAMENTO

Essa é uma dica também muito importante e que normalmente é pouco falada durante o tratamento oncológico: as questões financeiras do tratamento. Peça ajuda para lidar com essas questões, seja para um amigo ou mesmo na clínica onde você estiver fazendo tratamento. Procure uma assistente social ou alguém da área administrativa e informe-se sobre os seus direitos, convênios, autorização do tratamento etc. Normalmente o paciente com câncer tem tantas demandas, que essa questão prática da vida e tão importante quanto as outras questões do tratamento, pode acabar sendo deixada de lado acarretando transtornos para o paciente e familiares. Então, não se retraia. Se você tem dúvidas peça ajuda a alguém da sua família, procure alguém do centro onde seu tratamento está sendo realizado e peça explicações detalhadas sobre os seus direitos, convênios e até sobre os possíveis auxílios que você possa ter no seu tratamento.

EVITE ESQUECIMENTOS UTILIZANDO UMA AGENDA

Essa dica também é importante e tem a ver com todas as demandas que o paciente tem durante o tratamento de câncer: se ainda não utiliza uma agenda, a dica é para que se adapte a usá-la. Isso porque existe uma série de compromissos, consultas, exames que serão necessários e que o médico vai agendar, além de outros que a equipe também vai agendar para planejar o tratamento.

Outro motivo pelo qual indicamos essa organização é o fato que o paciente quando está em tratamento quimioterápico, pode sofrer de uma síndrome que nós chamamos no meio médico de “quimio brain”. A quimio brain é um efeito cerebral do tratamento oncológico que provoca principalmente redução da concentração do paciente. É comum perder o foco e ter esquecimentos. Por isso, se a pessoa não anotou, não deixou bem claro para não esquecer, determinados compromissos podem ser esquecidos. A agenda vai facilitar a vida do paciente nesse sentido.

PREPARE-SE PARA OS POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS

Tenha liberdade para falar com o seu médico sobre os potenciais efeitos do tratamento. Existe uma enormidade de opções de medicações, de quimioterápicos e de tratamentos oncológicos, que são realizados hoje em dia e cada tratamento tem suas particularidades no que diz respeito aos efeitos colaterais. Por isso, é importante que você fale com o seu médico mesmo que para isso você precise agendar um horário específico. É sempre importante você se preparar antecipadamente, porque se acontecerem os efeitos, você já estará preparado e já saberá quais tipos de atitude tomar. Isso tranquiliza muito e evita idas desnecessárias a emergência, ligações desnecessárias, porque esses aspectos já estarão bem esclarecidos na sua cabeça.

MANTENHA UMA BOA ALIMENTAÇÃO

Mas porque isso? Durante a quimioterapia é possível que mude o paladar e pode mudar também o olfato e isso faz com que as pessoas às vezes troquem determinadas preferencias alimentares. Por exemplo, o paciente que anterior ao tratamento tivesse o hábito de comer carne, pode durante o tratamento passar a não gostar mais. Outra dica sobre a alimentação é que durante a quimioterapia você faça refeições mais vezes ao dia. Isso porque o volume de alimentos precisa ser menor para evitar as náuseas e os enjoos.

Em função da mudança no paladar é sempre recomendado evitar alimentos prejudiciais, como os embutidos, refrigerantes e os que contém açúcar em excesso. Além disso, também é recomendado evitar o consumo de bebidas alcoólicas. E é essa é uma dúvida comum entre os pacientes que fazem quimioterapia. Portanto, a bebida alcoólica deve preferencialmente ser evitada durante o tratamento, mas se você for beber, então não ultrapasse 3 drinques semanais. Um drinque é uma medida de ingestão alcoólica, então três drinques semanais equivalem, mais ou menos, a 500ml de cerveja, ou duas taças de vinho ou 75ml de bebidas destiladas.

PRATIQUE EXERCÍCIOS FÍSICOS

Além da questão da alimentação, nós sempre recomendamos que os pacientes complementem com atividade física. Sabe-se que a prática de exercícios físicos durante o tratamento evita que o paciente fique pré-disposto a lesões de articulações e isso se dá porque a musculatura estará firme. Algumas sugestões de atividades físicas leves são yoga, caminhadas leves, alongamentos, pilates, hidroginástica e natação.

CUIDE DA SAÚDE DOS SEUS OSSOS

Além da atividade física também é importante cuidar da saúde dos ossos. Esse é um aspecto pouco divulgado, mas alguns tratamentos oncológicos podem prejudicar a saúde dos ossos. Principalmente aqueles tratamentos que fazem bloqueio hormonal e acabam pré-dispondo os ossos à osteoporose. A atividade física também ajuda nesse aspecto de prevenção. Também é importante lembrar sobre reposição de vitamina D para a saúde dos seus ossos!

SAIBA SE VOCÊ DEVE OU NÃO CONTINUAR TRABALHANDO

Muitos pacientes me questionam logo na primeira consulta, se deve continuar trabalhando, se deve parar em definitivo ou parcialmente… Durante o tratamento quimioterápico nós sempre avaliamos individualmente, depende muito da atividade que a pessoa exerce, das possibilidades de reduzir a carga horária, caso isso se faça necessário e também das preferências pessoais.

Sempre que possível é recomendado que o paciente continue com as suas atividades pois ajuda a manter a sua identidade, a sua auto estima e obviamente a sua questão financeira. Além de fazer o tempo passar mais rápido, as relações sociais se mantém e tudo fica mais leve.

 

Essas são as dicas principais e eu espero ajudar muitos pacientes e familiares com ela!

Até a próxima.

Dra. Alessandra Morelle