Crianças com câncer: Quais os cuidados durante o tratamento?

câncer infantil cuidados

Para papais e mamães, o câncer infantil é um aperto no coração. Um corpinho tão pequeno, ainda em desenvolvimento, ter de passar por longos tratamentos invasivos. Apesar disso, hoje sabemos que os pequenos respondem melhor aos tratamentos.

Mas isso não significa que não devemos estar atentos, pois a queda da imunidade também ocorre no câncer infantil e pode trazer malefícios ao tratamento.

Separamos aqui algumas observações para os pais e mães ficarem de olho para o que as crianças podem ou não fazer durante o tratamento do câncer.

Vacinas

Como já tratamos no meu último texto, que você pode ler aquias vacinas atenuadas não devem ser administradas em pacientes em quimioterapia. O mesmo vale para as crianças, pois a imunidade baixa pode fazer com que a doença da vacina se desenvolva, ao invés de auxiliar na prevenção da mesma.

Viagens

Quando o hemograma estiver normalizado, o quadro clínico bom e nenhum tratamento estiver sendo interrompido, a criança pode viajar sem problemas.

Porém, é importante conversar com o médico, buscar um serviço de saúde no local da viagem e, se possível, informar ao médico o contato desse serviço de saúde, para que possa falar com os profissionais do local caso seja necessário.

Festas e passeios

Qualquer local com muita aglomeração de pessoas deve ser evitado, principalmente durante a fase mais intensa do tratamento. O médico pode avaliar a situação, porém há de ter o cuidado para possíveis infecções.

Porém, é possível levar o pequeno para passeios com precaução. O cinema, por exemplo, pode ser uma opção em sessões mais esvaziadas, sem aglomeração de pessoas e possíveis infecções.

Praias e piscinas

Como no item acima, as possíveis infecções são a maior causa do afastamento de crianças de locais públicos. O mesmo se aplica para a praia e piscina.

A areia e o mar possuem poluentes que podem gerar infecções, assim como piscinas (principalmente as públicas), pois podem conter fungos nas bordas, que são prejudiciais.

Escola

Uma integração e comunicação entre pais, escola e médico pode ser muito benéfica para a criança.

A criança pode seguir a vida escolar se houver alguns cuidados. No início do tratamento, em momentos intensivos como a quimioterapia, é importante manter afastada por pelo menos um mês.Depois, é possível retornar às aulas.

Alimentos

Nos momentos de baixa taxa de imunidade, não deixe a criança comer coisas cruas, como verduras, legumes e frutas. Carnes cruas também não são aconselhadas, pois podem ocasionar toxoplasmose. No meu texto, Kit Quimioterapia: o que levar? incluí uma opção de bactericida doméstico, que pode auxiliar na higienização dos alimentos.
Sempre tenha uma boa comunicação com o médico da criança para que demais dúvidas sejam sanadas.

Espero que vocês encontrem as melhores maneiras de passar por esse momento difícil, para qualquer dúvida estou aqui.

Drª Alessandra Morelle