O Covid-19, vírus com o qual precisamos aprender a conviver, pode ser especialmente preocupante para aquelas pessoas que estão em tratamento ou passaram por um câncer. Pacientes com histórico de câncer que atualmente não estão em terapia e não têm câncer ativo provavelmente não correm um risco significativamente maior em comparação com outras pessoas na faixa etária.

As terapias hormonais para o câncer de mama também não vão aumentar o risco de doenças graves. O cuidado deve ser maior para as pessoas que atualmente recebem tratamento imunossupressor, bem como para as que têm câncer ativo e não estão em remissão.

A quimioterapia vai aumentar o risco mais do que radiação ou cirurgia, mas é importante ressaltar que qualquer coisa que estresse o sistema tem o potencial de aumentar o risco de infecção. Ainda não está claro como a imunoterapia pode afetar o risco, mas os pacientes que a recebem podem desenvolver sintomas e efeitos colaterais que podem ser muito difíceis de distinguir da infecção.

Se você é paciente ou familiar de paciente por favor, não fique alarmado. O acompanhamento do médico oncológico é fundamental para monitorar qualquer sintoma e dará a confiança necessária a você.

Quais as principais precauções?

O distanciamento social é particularmente importante para pacientes com câncer ativo e em tratamento imunossupressor. Isso significa evitar multidões, não sair de casa se não for necessário e não voar ou pegar transporte público, a menos que seja absolutamente necessário.

Caso os governos estaduais ou municipais flexibilizem as regras de distanciamento, os pacientes precisam redobrar seus cuidados. O vírus está ativo e em plena circulação, é um novo tipo de doença com a qual vamos aprender a conviver, mas ainda não há vacina e nem medicação específica para tratá-la.

O conselho padrão é ainda mais importante para pacientes com câncer: lave as mãos regularmente, não toque no rosto e desinfete as superfícies com frequência. Mantenha seu sistema imunológico forte, dormindo o suficiente, comendo bem e se exercitando.

Aqueles que são imunossuprimidos precisam ser particularmente vigilantes e fazer os preparativos se precisarem ficar em suas casas por períodos prolongados.

Os cuidadores familiares também devem se comportar visando a proteção de seus entes queridos.

Para aqueles que usam do artifício “Estou saudável, não estou preocupado, eu conseguiria passar bem por esse vírus”, sugiro a seguinte reflexão:

Temos pais ou avós mais velhos e que podem desenvolver complicações severas com o Covid-19? Ou conhecemos alguém com câncer? Se a resposta é sim para uma das perguntas, você deve sim continuam com cuidados extremos de proteção.

Para ajudar no monitoramento do dia a dia dos pacientes, recomendo os aplicativos Tummi ou Tummi Coronavírus. São ferramentas fáceis, intuitivas e acessíveis, que proporcionam segurança e esclarecimentos rápidos.