Desde o começo da pandemia de Covid-19 a medicina tem percebido um movimento de retrocesso em alguns setores. Não existem culpados. O medo de exposição à uma doença é normal e esperado. Entretanto, isso gera uma grande preocupação, especialmente em relação aos tratamentos de câncer. 

Nos EUA, por exemplo, já existem dados comprovando uma grande queda no rastreamento, diagnóstico e tratamento do câncer de mama. Tal fato ocorre porque a maior parte das consultas e exames preventivos estão na categoria de serviço eletivo, e não mandatório. Então, uma grande parcela das mulheres adiaram suas rotinas de acompanhamento. 

Os pesquisadores que guiaram o estudo sobre o assunto usaram dados de todo o país do período de  2 de fevereiro a 11 de abril de 2020. O número de cirurgias de mama diminuiu pela primeira vez na semana que começou em 8 de março em 18,2%. Houve uma tendência geral significativa de queda nas consultas durante o resto do período de estudo, com um declínio médio semanal de 20,5% e uma redução máxima de 35,5%. 

Foi identificado também declínio nos exames de imagem em 51,3% logo no início da pandemia, chegando ao assustador número de 72,1% de redução. 

Os dados assustam pois, certamente, no Brasil o cenário não é diferente. O grande alerta dos estudiosos é válido para qualquer país: o afastamento da rotina de exames preventivos pode ​​alterar a progressão da doença não apenas para pacientes com câncer diagnosticados durante este período de tempo, mas também no futuro. 

Trago esses dados como um alerta! Durante o Outubro Rosa , aproveite atualizar seu exames. Faça um mutirão com suas amigas, com as mulheres da sua família. A falta de acompanhamento é preocupante e perigosa. Não desejamos a identificação de diagnósticos tardios. Faça uso de todo o aparato de prevenção o Covid-19 (máscara, protetor facial, luvas, se você achar necessário), mas não negligencie a presença de uma doença como o câncer. 

Conte comigo! 

Fonte: https://acsjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/cncr.33113